Estilo de vida

Perda de audição acontece, mas boas habilidades de escuta são uma escolha

Quando foi a última vez que você se sentiu realmente ouvida? Você consegue pensar em uma ocasião em que alguém sentou-se com você e lhe deu sua atenção indivisa e respeitosa? Você conhece o sentimento de ser encorajado a ir mais fundo, a explorar seu próprio conhecimento na presença de outro?

Você sabe como é ter um ouvinte que assume que sabe as respostas mesmo que, no momento, esteja confuso e incerto? Imagine um ouvinte que pisa com gentileza e paciência, fazendo companhia enquanto você encontra suas próprias respostas. Acredite ou não, um bom ouvinte pode ajudá-lo a entrar em contato com sua própria sabedoria.

Bons ouvintes são raros

Você provavelmente está familiarizado com ouvintes que não podem esperar para interrompê-lo com seus próprios contos. Eles estão apenas esperando que você faça uma pausa para que eles possam pular com suas próprias observações inteligentes. Então, há "ouvintes" que correm para lhe dar bons conselhos. "Não, não", você quer dizer: "Eu não quero o seu conselho. Eu só quero que você ouça. ”Bons ouvintes são difíceis de encontrar.

Quais são as qualidades de um ouvinte qualificado?

Então, o que faz um ouvinte eficaz? Os ouvintes habilidosos sabem deixar de lado suas próprias preocupações enquanto escutam você. Eles deixam de lado tudo o que sabem sobre o seu assunto e tudo o que está acontecendo em suas próprias vidas. Seu objetivo é saber, tanto quanto humanamente possível, o que é ser outra pessoa. Bons ouvintes ajudam você a se conectar com sua própria sabedoria e com suas próprias soluções para os problemas. Eles ficam com você enquanto você descobre as coisas e ouve com uma atitude de humildade. Eles acreditam que é uma honra entrar no seu processo interior.

5 Diretrizes para uma escuta efetiva

Acredite ou não, se você ficar com a pessoa que você está ouvindo, ela provavelmente terá suas próprias respostas. Quais são as diretrizes para ser um ótimo ouvinte?

Suspender julgamento

Deixe de lado toda a sua ocupação mental e todo o seu conhecimento sobre o assunto em questão. Mesmo se você é um especialista no assunto, apenas ouça atentamente. Seria presunçoso dar conselhos ou "saber" o que precisa acontecer.

Refletir sobre o lado emocional da conversa

Reflita de volta algumas de suas palavras, especialmente palavras emocionais. As pessoas tendem a se apressar pelas partes emocionais de sua história. Este é geralmente o lugar onde o ouro está.

Desacelere e compreenda verdadeiramente

Desacelere a pessoa. Diga: "Você poderia voltar para ..." ou "Ajude-me a entender ..." Não se apresse.

Procure clareza e compreensão

Não dê a impressão de que a pessoa precisa satisfazer sua curiosidade. O objetivo é ajudá-los a esclarecer seu próprio entendimento.

Aceite a falta de perfeição na troca

Não se preocupe se você disser algo errado. A outra pessoa irá corrigi-lo e o processo em si é autocorretivo. Ouvir algo de volta ajuda a pessoa a ficar mais clara sobre como ela realmente é, se você diz isso exatamente certo ou não.

Esse modelo para ouvir vem da focalização e é chamado de escuta experiencial. Isso requer prática. Se a ideia lhe interessa, talvez você encontre um amigo que gostaria de praticar essa maneira de ouvir com você. Então vocês dois terão alguém para te ouvir.

Quais são suas experiências com ouvir e ser ouvido? Participe da conversa e deixe que os outros saibam seus pensamentos sobre a audição.

Mary K Armstrong é ex-professora de yoga e psicoterapeuta. Ela escreve sobre envelhecer e tomar conta de sua vida, em se mover, viver bem e encontrar felicidade pessoal. Visite Mary em seu site e nas mídias sociais.

Schau das Video: Hörstörungen - MINI MED im Gespräch mit Dr. Thomas Keintzel, Dr. Martin Burian und Tina Moser